domingo, 4 de janeiro de 2009

SONETO DE UM KARMA

Busca que principia ao amanhecer
Vem de dia e segue ao entardecer
Urge a noite que a rende misteriosa
Ante a madrugada que cai silendiosa

Acompanha a triste alma que chama
Por um coração em lágrimas que clama
Navega na tristeza que por si assola
E segue o corpo de alguém que chora

Uma busca que inicia sem começar
Por uma espera que já não tem mais fim
Sem saber quando e onde terminar

Posto que tal sina seja um triste karma
Incluir sua presença em minha vida
É converter o meu viver em darma

2 comentários:

Cida Janes disse...

Olá meu querido Caio.
Demorei um pouco, mas aqui estou e sempre maravilhada com suas poesias.
Beijusssssssssssssss

cantinho da mari-mari disse...

Meu querido

Que poema belíssimo.
Obrigada por nos agraciar com
essas maravilhosas escritas.
ôô ALMA ABENÇOADA.
bjs